Entrelaços

Compaixão

Seguindo nossa Jornada de Valores 2020 hoje vamos falar de Compaixão.

“(…) Para mim, tudo isso mostra que, se refletirmos sempre e procurarmos nos familiarizar com a ideia de compaixão, se a praticarmos e exercitarmos poderemos desenvolver nossa capacidade inata para estabelecer contato com os outros, o que é de suprema importância para a abordagem à ética que apresentei. Quanto mais desenvolvermos o sentimento de compaixão, mais genuinamente ética será a nossa conduta.

Como já foi visto, quando nossos atos são pautados pela consideração pelos outros, nosso comportamento para com eles é sempre positivo, porque não há lugar para desconfianças e reservas quando nossos corações estão cheios de amor. É como se uma porta interior de abrisse e nos permitisse alcançá-los. Ter consideração pelos outros é o que faz cair a barreira que impede a interação saudável com o próximo. E não apenas isto. Quanto nossas intenções para com os outros são boas, verificamos que diminui muito qualquer timidez ou insegurança de nossa parte. À medida que somos capazes de abrir essa porta interior, sentimos que nos libertamos de nossa preocupação habitual com nosso próprio eu. Paradoxalmente, constatamos que isso dá margem a uma forte sensação de confiança. Portanto, se posso citar minha própria experiência, vejo que, cada vez que encontro gente nova e tenho essa disposição positiva, não há barreiras entre nós. Não importa quem ou o que sejam, se tem cabelos louros ou pintados de verde, sinto que estou apenas encontrando um semelhante com o mesmo desejo de ser feliz e não querer sofrer que eu tenho. E descubro que posso falar com eles como se fossemos velhos amigos, mesmo sendo nosso primeiro encontro.

(…) Descobrimos ainda algo mais quando agimos movidos pela consideração pelos outros: a paz que isso cria em nossos corações é transmitida para todos aqueles com quem nos relacionamos. Trazemos paz a família, paz aos nossos amigos, ao ambiente de trabalho, à comunidade e assim, ao mundo.

(…) Partindo da premissa básica de que a conduta ética consiste em não fazer mal às pessoas, conclui-se que é necessário levar em consideração os sentimentos dos outros, e a base disso é a nossa capacidade inata para empatia. À medida que transformamos essa capacidade em amor e compaixão, precavendo-nos contra os obstáculos e cultivando os elementos favoráveis ao processo, nossa prática da ética se desenvolve. E todos ganham em qualidade de vida e em felicidade, os outros e nós.”

Dalai Lama – Uma ética para o Novo Milênio (Editora Sextante).

Liderança por Valores é sentir e demonstrar consideração pelos outros, é ter e manifestar interesse genuíno pelos outros.  Só assim é possível uma liderança humanizada, inclusiva, inspiradora, extraordinária.

AUSHDAUHDHUASAUHASDUHHAUS